Governo antecipa pagamento da 3ª parcela do auxílio emergencial; veja as datas

Os depósitos da terceira parte do benefício começam na sexta-feira (18), de acordo com o mês de nascimento

Thâmara Kaoru, do CNN Brasil Business, em São Paulo
15 de junho de 2021 às 08:07 | Atualizado 15 de junho de 2021 às 09:19
Auxílio emergencial 2021
Começam os pagamentos do auxílio emergencial 2021
Foto: Arthur Souza/Photopress/Estadão Conteúdo

O governo federal decidiu antecipar o pagamento da 3ª parcela do auxílio emergencial 2021. Com a nova programação, os depósitos começam na sexta-feira (18), de acordo com o mês de nascimento do beneficiário. As novas datas foram publicadas no Diário Oficial da União desta terça-feira (15).

Assim como no ano passado, primeiro o dinheiro será depositado em conta poupança digital. Os valores podem ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem, que permite fazer compras em supermercados, padarias, farmácias e outros estabelecimentos usando o cartão de débito virtual ou QR Code.

Quem não movimentar o dinheiro pelo aplicativo poderá retirar ou transferir os valores. Os saques começam a ser liberados a partir de 1º de julho.

Confira o novo calendário

Neste ano, as parcelas são de R$ 250, com duas exceções: mulheres chefes de família receberão R$ 375 e quem mora sozinho terá R$ 150.

Inicialmente, o pagamento da 3ª parcela começaria no dia 20 de junho e seguiria até 21 de julho. Já os saques, aconteceriam entre 13 de julho e 12 de agosto.

Pagamento para o Bolsa Família não muda

Para quem faz parte do programa Bolsa Família, não há mudança na data de pagamento. A terceira parcela começa a ser paga na quinta-feira (17), de acordo com o NIS (Número de Identificação Social).

Segundo a Caixa, além de movimentar o benefício pelo aplicativo Caixa Tem, também será possível fazer o saque com o Cartão Bolsa Família ou Cartão Cidadão, nos canais físicos, como agências e lotéricas.

Mais três meses de auxílio

Na segunda-feira (14), o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou à CNN que a nova rodada do auxílio emergencial terá três meses. O benefício será então prorrogado até outubro, quando o governo espera ter concluído a vacinação da população adulta.

Guedes disse que a prorrogação por mais três meses tem aval da equipe econômica, mas que o anúncio sobre a nova rodada será feito pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro da Cidadania, João Roma.