Estrela gigante está "piscando" perto do centro da Via Láctea

O centro de nossa galáxia é uma região densa que inclui um buraco negro supermassivo, superaglomerados de estrelas, fluxos de gás e filamentos magnéticos

Ashley Strickland, da CNN*
13 de junho de 2021 às 07:20
Blinking Star
Foto: Amanda Smith/Universidade de Cambridge

Uma estrela gigante está piscando perto do centro de nossa galáxia, a Via Láctea, como um farol estelar, de acordo com novas observações de astrônomos. A estrela está localizada a mais de 25 mil anos-luz de distância da Terra.

Conhecida como VVV-WIT-08, a estrela escureceu tanto que quase desapareceu de vista conforme os astrônomos a observavam ao longo do tempo.

Não é incomum que o fator de brilho de uma estrela mude. Algumas estrelas pulsam, ou uma estrela dentro de um par estelar, chamado binário, pode ser eclipsada por outra. Mas é incrivelmente raro uma estrela ficar tênue e brilhar novamente, ou piscar.

A observação desta estrela levou os pesquisadores a acreditar que ela poderia pertencer a uma nova classe: um sistema estelar binário "gigante piscante". Esta classe inclui estrelas gigantes cem vezes maiores do que o nosso Sol sendo eclipsado a cada poucas décadas ou mais por um companheiro invisível, que poderia ser um planeta ou outra estrela.

Este companheiro provavelmente está rodeado por um disco de material que cobre a estrela gigante, causando o padrão de intermitência testemunhado pelos astrônomos. O estudo foi publicado sexta-feira nos Avisos Mensais da Royal Astronomical Society.

O centro de nossa galáxia é uma região densa que inclui um buraco negro supermassivo, superaglomerados de estrelas, fluxos de gás e filamentos magnéticos.

"É incrível que acabamos de observar um objeto escuro, grande e alongado passando entre nós e a estrela distante, e só podemos especular qual é sua origem", disse Sergey Koposov, co-autor do estudo e leitor de astronomia observacional na Universidade de Edimburgo, em um comunicado.

A princípio, os pesquisadores especularam que um objeto escuro desconhecido passaria na frente da estrela gigante, mas isso só seria possível se houvesse um grande número desses objetos na galáxia, o que é improvável.

Um estudo de outros sistemas estelares únicos, incluindo estrelas gigantes que escurecem e brilham, ou mostram esse padrão de piscamento, ajudou os pesquisadores a determinar que uma nova classe de estrelas gigantes piscantes pode existir e precisa ser investigada. Até agora, parece que existem cerca de seis desses sistemas.

O sistema estelar neste estudo foi encontrado usando as Variáveis VISTA na Via Lactea, ou pesquisa VVV. Este projeto, que utiliza o telescópio VISTA no Observatório Europeu do Sul, no Chile, observou 1 bilhão de estrelas por quase uma década para ver como elas variam em brilho.

"Ocasionalmente, encontramos estrelas que não se encaixam em nenhuma categoria estabelecida. Chamamos estes objetos de 'o que é isso?' ou 'WIT'", disse Philip Lucas, líder do projeto VISTA e professor da Universidade de Hertfordshire, em nota.

"Nós realmente não sabemos como esses gigantes piscantes surgiram. É emocionante ver essas descobertas do VVV depois de tantos anos planejando e reunindo os dados."

O escurecimento da estrela também foi observado usando o Optical Gravitational Lensing Experiment, ou OGLE, um levantamento do céu executado pela Universidade de Varsóvia. Os conjuntos de dados de ambas as pesquisas mostraram que a estrela esmaeceu igualmente tanto na luz infravermelha quanto na visível.

Os astrônomos continuarão a pesquisar por mais desses gigantescos sistemas estelares piscantes para aprender mais sobre eles.

"Certamente há mais a ser descoberto, mas o desafio agora é descobrir o que são os companheiros ocultos e como eles foram cercados por discos, apesar de orbitarem tão longe da estrela gigante", disse Leigh Smith, líder de descoberta e pesquisador associado do Instituto de Astronomia da Universidade de Cambridge. "Ao fazer isso, podemos aprender algo novo sobre como esses tipos de sistemas evoluem."

*Texto traduzido, clique aqui para ler o conteúdo original